Arquivo para Tag: FUNBIO

Ferramentas do Turismo de Base Comunitária

Duque de Caxias, 05 – 12 – 2023

A equipe do projeto PescaTur organizou junto à Associação de Pescadores e Pescadoras da Reserva Extrativista de Itaipu e Lagoa de Itaipu, APPREILI, uma Oficina de Comunicação, ministrada pela comunicadora Thereza Dantas, na manhã dessa segunda-feira, dia 4 de Dezembro, no salão cedido gentilmente pela Pousada Dunas de Itaipu, em Niterói.

Para quem não sabe, a área da Laguna de Itaipu possui condições ambientais preservadas por fazer parte da Reserva Extrativista (RESEX) Marinha de Itaipu, criada pelo Decreto Estadual n° 44.417, de 30 de setembro de 2013, e por estar ao lado do Parque Estadual da Serra da Tiririca, criado pela Lei Estadual 1 901, de 29 de novembro de 1991, e que abrange os municípios de Niterói, São Gonçalo e Maricá.

Nesse cenário, a Oficina de Comunicação veio para reforçar o trabalho do Curso EAD PescaTur de Turismo de Base Comunitária, TBC, junto aos pescadores, pescadoras e seus familiares no território. Na oficina, os participantes debateram sobre a necessidade de como comunicar os projetos e trabalhos dos moradores tendo sempre o cuidado para manter a qualidade de vida das comunidades tradicionais e o respeito com o Meio Ambiente. Segundo os participantes, Educação Ambiental e Comunicação podem ser boas ferramentas para informar como praticar o turismo sem destruir o Meio Ambiente e a vida dos pescadores artesanais em suas comunidades.

O PescaTur, projeto de Capacitação e Qualificação Profissional de Comunidades Pesqueiras em Turismo de Base Comunitária e Cidadania na Baía de Guanabara, é coordenado pela Oscip Trama Ecológica e conta com a orientação pedagógica de professores/pesquisadores das universidades públicas UniRio e UERJ, com o apoio técnico do Movimento Baía Viva.

Fotos de Claudio Fagundes








Certificando cursistas de Niterói

Duque de Caxias, 02 – 12 – 2023

E os certificados de conclusão do curso TBC PescaTur continuam chegando às mãos dos cursistas do litoral fluminense!

Imagens do trabalho de campo da equipe técnica do projeto PescaTur, em Niterói. Foram entregues os certificados aos pescadores artesanais das comunidades pesqueiras na Lagoa de Piratininga e na Praia de Itaipu.

Não esqueça, aproveite mais essa oportunidade de aprender sobre TBC, atividade de base comunitária que cada vez mais cresce no entorno da Baia de Guanabara. Tenha ganhos por meio da economia solidária através de serviços relacionados ao TBC, uma forma de gerar renda que está se popularizando entre comunidades pesqueiras. Assista da sua casa o Curso de TBC feito para você !

Acesse o link para inscrição: https://docs.google.com/forms/d/1Ykz7ZMqrdU3ZbIcWdgpdvqkuM9LrimQTYg1Xv5I6SE4/viewform?pli=1&fbclid=IwAR22zMdtMJmTM35pGfXPukenh2s1JUFba86ZV8EBtTTS0CtUsy9RQfolbo4&pli=1&edit_requested=true

Contatos:

📱 21 972332555

📩 pescatur.tramaecologica2022@gmail.com

O primeiro encontro dos pescadores artesanais de Duque de Caxias

Duque de Caxias, 01 – 09 – 2023

Dia 28 de Agosto, segunda-feira, foi dia do primeiro encontro dos pescadores artesanais de Duque de Caxias. Organizado pela equipe do projeto “ECONOMIA DO MAR NA BAÍA DE GUANABARA”, uma realização do ONG Trama Ecológica, em parceria com o Movimento Baia Viva, o encontro será um importante marco para a criação de projetos do Poder Publico em favor da pesca artesanal na região.

Estavam presentes integrantes da Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro, Fiperj, representantes Prefeitura de Duque de Caxias, das Secretarias de Agricultura, Abastecimento e Pesca, e Meio Ambiente, representantes do Conselho de Segurança Alimentar e da Associação de Moradores e Amigos Pro Melhoramento de Xerém. Do lado dos pescadores artesanais, a representação das Associações de Pescadores de Duque de Caxias e a de Saracurana e Região. O encontro foi conduzido pelo ambientalista Sérgio Ricardo, coordenador do projeto EcoMar, que ponderou sobre o salto que pode ser dado a partir desse encontro na qualidade das relações institucionais com as comunidades dos pescadores e caranguejeiros no território. O encontro também fez parte das Pré Conferências Participativas sobre a Baía de Guanabara que o Movimento Baia Viva está conduzindo desde o início desse ano nos municípios que fazem parte do Recôncavo da Guanabara.

Nas cinco horas de debates, foram elencadas as seguintes demandas:

– Maretório degradado mas o fato positivo de se ter duas associações para ajudar a melhorar a qualidade de vida dos pescadores e familiares. Novos editais podem ajudar no fortalecimento das associações com reforma sede e compra de material de informática;

– Assoreamentos e dragagens dos rios de Duque de Caxias – iniciar contato junto ao Inea, com as Secretarias Meio Ambiente e Agricultura e Pesca, de Duque de Caxias;

– Regulamentação do Registro Geral do Pescador, RGP, está melhorando. A Fiperj pode auxiliar e as Associações de Pescadores Artesanais tem que buscar essa parceria;

– Necessidade de um Censo Pesqueiro realizado em Duque de Caxias, enquanto o Estado do Rio de Janeiro não produz;

– Melhoria no Monitoramento Pesqueiro realizado pela FIPERJ, que deve ser ampliado para as seis comunidades pesqueiras de DC;

– Cobrar que TACs e Compensações ambientais, gerenciadas pelo MPF, devem ir para comunidades pesqueiras;

– PNAE, Merenda Escolar e Plano Safra, voltam as politicas públicas que devem utilizar o pescado das comunidades dos pescadores artesanais nos programas de alimentação do Governo;

– Poder Público deve buscar mais articulação junto as Associações dos Pescadores de Duque de Caxias para implantação de programas de Governo;

– Participação dos Pescadores Artesanais nos Conselhos Públicos, como o de Segurança Alimentar;

– Ampliação da Comunicação sobre as comunidades pesqueiras tanto pelas Associações como pelo Poder Público, como a Prefeitura de Duque de Caxias e Fiperj;

– Cursos e oficinas para ampliação de Conhecimentos para melhoria da qualidade do pescado e da qualidade de vida dos pescadores, seus familiares e do território.

Ao final da reunião, um grupo whatsapp foi criado com todos os participantes como forma de trocas de contatos e de informações sobre a Pesca Artesanal e Proteção dos Territórios Pesqueiros da Baía de Guanabara.

Sobre o projeto “ECONOMIA DO MAR NA BAÍA DE GUANABARA”

Iniciado em Setembro de 2022, o projeto “ECONOMIA DO MAR NA BAÍA DE GUANABARA” tem como foco os pescadores/as e caranguejeiros/as e suas famílias das comunidades da pesca artesanal dos bairros da Chacrinha, Parque Beira Mar, Parque das Missões, Sarapuí, Jardim Gramacho e Saracuruna, de Duque de Caxias. Durante o ano de vigência do projeto foram oferecidos cursos de qualificação profissional visando à criação de alternativas de geração de renda e produção sustentável com a perspectiva do desenvolvimento da Economia do Mar voltada à pesca artesanal.

Ele também apoiou as organizações de base e empreendedores solidários da Rede Nós da Guanabara, por meio do seu fortalecimento institucional, estratégias de comercialização e de comunicação para dar maior visibilidade aos seus produtos e para promoção da geração de renda na perspectiva da Economia Solidária.

Objetivamente, essas intenções foram realizadas durante 12 meses, com as seguintes ações:

– Oficina Gestão Contábil Financeiro (Magé e Duque de Caxias)

– Oficina de Comunicação (Magé e Duque de Caxias)

– Oficina de Reparos de Barcos de Pesca Artesanal (Duque de Caxias)

– Oficina de Conserto de Motor de Barcos de Pesca (Duque de Caxias)

– Curso POP 1 da Marinha (Duque de Caxias)

– Curso de Introdução a Aquicultura (Duque de Caxias)

– Curso de Turismo de Base Comunitária (Magé)

– Palestras sobre Educação Ambiental no Ciep 350 (Duque de Caxias)

Além da formação, o projeto “ECONOMIA DO MAR NA BAÍA DE GUANABARA” organizou as seguintes atividades:

– Assembleia da Associação de Pescadores de Duque de Caxias

– Primeiro Encontro de Pescadores Artesanais de Duque de Caxias

Fotos Thereza Dantas

Seminário Pedagógico do Projeto PescaTur – Turismo de Base Comunitária

Duque de Caxias 05 – 01 – 2023

Foi realizado no dia 8 de Dezembro de 2022, em Jurujuba, Niterói, um seminário pedagógico com os professores Clara Carvalho de Lemos, da UERJ, Daniel Fonseca de Andrade e Eloise Silveira Botelho, ambos da UniRio, a equipe técnica do projeto Pescatur e pescadores artesanais do território.

O encontro foi programado para captação de linguagens territoriais e usuais dos pescadores/as para formação do conteúdo didático-pedagógico para a criação das aulas em EAD para os cursistas presentes. Através de oficinas e tarefas com respostas na hora, enviadas via Whatsapp.

O Projeto de Turismo de Base Comunitária, PescaTur, em municípios costeiros da Baía de Guanabara pretende formar o TBC para fomentar o Turismo local nas comunidades pesqueiras do entorno da baía. O seminário foi realizado com recursos do Fundo Brasileiro para Biodiversidade, FUNBIO.

Participaram do seminário a Associação de Pescadores e Amigos da Lagoa de Piratininga, Associação Livre dos Pescadores e Amigos da Praia de Itaipu, a Associação Pescadores da Ilha da Conceição, trabalhadores Associados/as do Mar de Boa Viagem, Associação Livre de Maricultores de Jurujuba, Associação de Pescadores, Aquicultores e Maricultores de Jurujuba e a Associação dos Maricultores e Pescadores Artesanais de Jurujuba.